O que é prece – Osho

Do canal Sons do silêncio

“O que é prece?” – Osho Tradução Livre
Canal: Master’s Grace Gratidão por compartilhar
A segunda pergunta: ‘O que é prece?’
Prece é admiração, reverência
Prece é
receptividade ao milagre que o cerca
Prece é
render-se à beleza, à grandeza
desta fantástica existência!
Prece é um diálogo não argumentativo com a existência!
Não é uma discussão!
É um
diálogo de Amor
Você não discute
Você simplesmente sussurra doces ‘nadas’
Quando um homem Ama uma mulher, ele simplesmente sussurra doces ‘nadas’ em seu ouvido
Quando um homem se apaixona pela existência
é o mesmo romance, prece é romance
É fantasia!
É um tornar-se disponível ao milagroso
Muitas pessoas perderam a capacidade de fazer uma prece
pois muitas pessoas perderam a capacidade de admirar
Elas perderam a capacidade de serem surpreendidas
Você continua a ver milhões de maravilhas, todos os dias
mas você já não se surpreende mais, seus olhos estão tão cheios de poeira e conhecimento que você já não vê mais nada
Uma semente brotando
e você não vê nenhuma maravilha
Uma nova folha surgindo na árvore
e você não vê nenhuma maravilha
Um pássaro cantando
e nada
acontece no seu interior
Um pavão dança e nada dança dentro de você
Uma núvem branca flutua no céu
e você permanece intocado
Então a prece é impossivel
A prece requer um coração poético
um coração Amoroso
Aproxime-se da realidade de maneira mais poética
Não seja muito um cientista
Não seja muito um racionalista
Não pense que você sabe, nada é realmente sabido, a ignorância é Absoluta
A ignorância é definitiva!
Uma vez que você entenda que nada é sabido e que a ignorância é definitiva
você estará novamente repleto daqueles olhos que tinha quando era uma criança pequena
Prece é a capacidade de se surpreender
Prece é a capacidade
que você tinha quando criança e a perdeu
Revindique-a, Recupere-a!
Porque com a prece você perdeu tudo
No dia em que os seus olhos de admiração se fecharam, Deus tornou-se não existencial para você
Abra seus olhos de admiração novamente e você o verá pulsando , ele está muito próximo
Ele está em toda a sua volta, ele está dentro e fora

“Quando a questão é compartilhar, compartilhe! Continue enviando as cartas de Amor!” – OSHO

Os pensamentos positivos libertam substâncias químicas

Por isso, acrescentou, o pensamento positivo “leva a uma sobrevivência maior” que vai até “sete anos e meio“.

O investigador afirmou ainda que “as pessoas que já experienciaram situações de medo e que conseguiram resolvê-las têm capacidade de sobrevivência maior“. O fenômeno deve-se à “capacidade para ultrapassar o medo”.

José Pinto da Costa lamentou que “exista muito preconceito contra o medo e contra as pessoas com medo”.

Não se integra as pessoas na sua circunstância. As pessoas, às vezes, têm medos exagerados por uma questão de aprendizagem. Os primeiros dois anos (de vida) são cruciais para o desenvolvimento da estruturação da personalidade e, se calhar, foram os pais e a sociedade que lhes incutiu a estruturação de futuros medos“, afirmou.

Trecho do artigo completo em: https://portaldobudismo.org/2017/07/05/pensamento-positivo-aumenta-tempo-de-vida/

A Grande Obra – Como Identificar E O Que Fazer Com O Orgulho, A Inveja, A Raiva E A Culpa

A GRANDE OBRA é uma abordagem diferente sobre a interferência negativa que algumas emoções podem ter no comportamento e nas relações interpessoais, a ponto de destruir sonhos e projetos de vida. Busca contribuir para que as pessoas identifiquem essas emoções em si mesmas e transformem-nas em sentimentos, primeiro passo para seu manejo e direcionamento.

Não pretende ser um livro de autoajuda, mas sim de divulgação de informações que auxiliem na difícil tarefa do desenvolvimento pessoal contínuo.

O que se propõe é a realização de uma espécie de alquimia interior para o manejo dessas quatro emoções – “A Grande Obra”, a propósito, é uma das denominações dadas à alquimia.

Escrito por um psiquiatra de reconhecida visão pluralista e integradora das neurociências, em linguagem acessível e ilustrado com relatos de caso inspirados em histórias reais, sua leitura permitirá novos olhares sobre esses quatro sentimentos após um mergulho interno, profundo e absolutamente necessário a todos.

Um dos locais de venda: Saraiva

O passado não consegue sobreviver diante da presença – Eckhart Tolle

O passado não consegue sobreviver diante da presença

P: Você disse que pensar ou falar sobre o passado é um dos caminhos pelos quais evitamos o presente. Mas, além do passado do qual nos lembramos e com que talvez nos identifiquemos, não existe um outro nível de passado dentro de nós mais enraizado? Falo sobre o passado inconsciente, que condiciona nossas vidas, em especial as experiências dos primeiros anos da infância, até mesmo as experiências de vida passada. Existem também os condicionamentos culturais, tão relacionados ao lugar e ao período histórico em que vivemos. Todas essas coisas determinam o modo como vemos o mundo, o que pensamos, que tipo de relacionamentos mantemos, como vivemos. Como poderíamos nos livrar disso tudo? Quanto tempo isso levaria? E se conseguíssemos, o que restaria?

Continuar lendo O passado não consegue sobreviver diante da presença – Eckhart Tolle

Frequentemente entro em pânico e receio que possa enlouquecer.

O ganso chamado consciência

Pergunta: Frequentemente entro em pânico e receio que possa enlouquecer.

Osho: A coisa básica a ser entendida é que você não é a mente – nem o lado brilhante nem o lado obscuro. Se você ficar identificado com a parte bela, então é impossível se desidentificar da parte feia, são dois lados da mesma moeda. Você pode tê-la toda, ou você pode jogá-la toda fora, mas você não pode dividi-la.

Toda a ansiedade do homem é que ele quer escolher aquilo que parece bonito, brilhante; ele quer escolher todo o forro prateado, deixando a mancha negra para trás. Mas ele não sabe que o forro de prata não pode existir sem a mancha negra. A mancha negra é o fundo, absolutamente necessário para que o forro prateado apareça.

Escolher é ansiedade.

Escolher é criar problemas para você mesmo.
Continuar lendo Frequentemente entro em pânico e receio que possa enlouquecer.

Na presença da raiva – Kirshnamurti sobre a raiva

Na presença da raiva

Quando se defronta com a violência, o cérebro passa por uma rápida mudança química; ele reage muito mais rapidamente do que o golpe. O corpo todo reage e há resposta imediata; a pessoa pode não revidar, mas a própria presença da raiva ou do ódio causa essa resposta e existe ação.

Na presença de uma pessoa com raiva, veja o que acontece quando se está ciente disso sem que haja resposta a isso. No momento em que se está cônscio da raiva de outrem, e não se reage, há uma resposta muito diferente. O instinto da pessoa é responder ao ódio com ódio, à raiva com raiva; há uma injeção química que enseja reações nervosas no sistema. Mas acalme tudo isso na presença da raiva, e uma ação diferente se manifestará.

Continuar lendo Na presença da raiva – Kirshnamurti sobre a raiva

A realidade está no que é

“Em vez de perguntar quem compreendeu ou o que é Deus, por que não dar toda sua atenção e vigilância para o que é? Então você descobrirá o desconhecido, ou melhor, ele chegará a você. Se você compreender o que é o conhecido, experimentará esse extraordinário silêncio que não é induzido, nem forçado, esse vazio criativo onde só a realidade pode entrar.

Ela não pode chegar naquilo que está se tornando, que está lutando; só pode chegar para aquilo que é, que compreende o que é. Então você verá que a realidade não está na distância; o desconhecido não fica lá longe; está no que é.

Como a resposta para um problema está no problema, também a realidade está no que é; se pudermos compreender isto, então conheceremos a realidade.”

J. Krishnamurti, The Book of Life