O passado não consegue sobreviver diante da presença – Eckhart Tolle

O passado não consegue sobreviver diante da presença

P: Você disse que pensar ou falar sobre o passado é um dos caminhos pelos quais evitamos o presente. Mas, além do passado do qual nos lembramos e com que talvez nos identifiquemos, não existe um outro nível de passado dentro de nós mais enraizado? Falo sobre o passado inconsciente, que condiciona nossas vidas, em especial as experiências dos primeiros anos da infância, até mesmo as experiências de vida passada. Existem também os condicionamentos culturais, tão relacionados ao lugar e ao período histórico em que vivemos. Todas essas coisas determinam o modo como vemos o mundo, o que pensamos, que tipo de relacionamentos mantemos, como vivemos. Como poderíamos nos livrar disso tudo? Quanto tempo isso levaria? E se conseguíssemos, o que restaria?

Continuar lendo O passado não consegue sobreviver diante da presença – Eckhart Tolle

O maior obstáculo para experimentar a realidade do Ser – Eckhart Tolle

Pergunta: Qual é o maior obstáculo para experimentar esta realidade?

ECKHART TOLLE:

A identificação com sua mente, o que faz com que o pensamento se torne compulsivo.

Não poder deixar de pensar é uma espantosa calamidade, mas não nos damos conta disto porque quase todo o mundo sofre disto, assim que é considerado “normal”.

Continuar lendo O maior obstáculo para experimentar a realidade do Ser – Eckhart Tolle

Observação e auto-observação de acordo com Eckhart Tolle

Perceber sem nomear

As pessoas, em sua maioria, estão apenas superficialmente conscientes do mundo que as cerca, sobretudo quando estão familiarizadas com o ambiente em que se encontram. A voz na cabeça absorve a maior parte de sua atenção.

Há quem se sinta mais vivo quando viaja e conhece lugares desconhecidos ou outros países porque, nessas ocasiões, a percepção sensorial ocupa mais a sua consciência do que o pensamento. Esses indivíduos se tornam mais presentes.

Continuar lendo Observação e auto-observação de acordo com Eckhart Tolle

Meditação – sentir o corpo interior – Eckhart Tolle

Por Eckhart Tolle

Uma sessão de meditação não precisa ser longa. Dez a vinte minutos contados no despertador são o suficiente.

Primeiramente tenha certeza que você não será interrompido por distrações externas como telefones ou pessoas que provavelmente vão te interromper. Sente-se em uma cadeira, mas sem encostar as costas no encosto. Mantenha a coluna ereta, isso lhe manterá alerta. Claro, você também pode escolher outra posição que seja da sua preferencia.

Tenha certeza que o seu corpo está relaxado. Feche os olhos. Respire profundamente algumas vezes puxando o ar pela parte de baixo do abdômen (puxar o ar pelo peito indica para corpo que queremos vigor, o que não é o caso na meditação). Sinta-se respirando. Observe como o seu abdômen expande e contrai com cada inspiração e expiração. Então se torne ciente do seu campo energético interno do seu corpo. Não pense sobre ele, sinta-o. Fazendo isso você recupera a consciência da sua mente.

Quando você puder sentir o corpo interior como um único campo de energia, abandone, se possível, qualquer imagem visual e concentre-se exclusivamente nas sensações. Se você puder, também abandone a imagem mental que você possa ter do corpo físico. Então tudo o que resta é uma sensação omnicompreensiva (extremante abrangente, sem delineação limitante) de presença ou de “ser”, e o corpo interno é sentido como algo sem um limite. Então leve a sua atenção mais profundamente para essa sensação. Se torne um com ela. Funda-se com o campo de energia de forma que não há mais uma percepção de dualidade entre o observador e o observado, de você e o seu corpo. A distinção entre o que há dentro e fora também se dissolve, então não há mais corpo interno. Ao ir profundamente no corpo, você transcendeu o corpo.

Fique nesse reino de puro Ser por quanto tempo lhe for confortável; então se torne ciente novamente do corpo físico, da sua respiração e das suas sensações físicas, e abra os seus olhos.

Olhe a sua volta de forma meditativa por alguns minutos, que é olhar atentamente sem rotular mentalmente, e continue a sentir o corpo interior enquanto você faz isso.

Ter acesso ao Reino Sem-Forma é verdadeiramente libertador. Ele te livra das amarras da forma e da identificação com a forma. É a vida no seu estado indiferenciado antes da fragmentação em multiplicidade. Nós podemos chama-lo de Não Manifesto, a Fonte invisível de todas as coisas, o Ser dentro de todos os seres. É um reino de profunda quietude e paz, mas também de alegria e intensa vitalidade. Toda vez que você está presente, você se torna, de certa forma, “transparente” para a luz de pura consciência que emana da Fonte. Você percebe que essa luz não é separada de quem você é, mas sim a sua verdadeira essência.

fonte: http://eckharttolle.com.br/index.php/2016/08/25/meditacao-guiada-entrando-profundamente-no-corpo/

A entrega ou não resistência – Eckhart Tolle

A entrega, ou seja, o abandono de qualquer resistência mental e emocional ao que é, também é um portal para o Não Manifesto. A razão disso é simples, já que a resistência interior nos isola das outras pessoas, de nós mesmos e do mundo à nossa volta, fortalecendo a sensação de separação da qual o ego depende para sobreviver. Quanto maior a sensação de separação, maior a nossa dependência do manifesto, do mundo das formas separadas. E quanto maior a ligação com o mundo das formas, mais dura e impenetrável será a nossa identificação com a forma. O portal é fechado e somos afastados da dimensão interior, a dimensão do profundo. No estado de entrega, a nossa identificação com a forma se dissolve e se reveste de uma espécie de “transparência” e, assim, o Não Manifesto consegue brilhar através de nós.

Continuar lendo A entrega ou não resistência – Eckhart Tolle

Pratico meditação, frequento seminários, leio muito sobre espiritualidade, mas não encontro verdadeira paz interior

Pergunta: Pratico meditação, frequento seminários, leio muito sobre espiritualidade, em busca de um estado de não resistência. Mas, se você me perguntar se encontrei a verdadeira paz interior, minha resposta teria que ser “não”. Por que não a encontrei? O que mais posso fazer?

Resposta: Você ainda está procurando lá fora e não consegue escapar do modo de busca. Talvez o próximo seminário lhe traga a resposta, talvez aquela nova técnica. Diria a você: não busque a paz. Não busque nenhum outro estado além daquele em que você está agora, do contrário, vai criar um conflito interno e uma resistência inconsciente. Perdoe a si mesmo por não estar em paz. No momento em que você aceitar completamente a sua intranquilidade, ela se transformará em paz. Qualquer coisa que você aceite completamente vai lhe levar até lá, vai levar você até a paz. Esse é o milagre da entrega.

Eckhart Tolle em O Poder do Agora

O trabalho – com e sem a influência do Ego por Eckhart Tolle

O TRABALHO – COM E SEM A INFLUÊNCIA DO EGO

A maioria das pessoas tem momentos livres da interferência do ego. As que são excepcionais no que fazem podem permanecer completamente ou em grande parte livres dele enquanto executam seu trabalho. Talvez elas não saibam disso, mas sua atividade se tornou uma prática espiritual. A maior parte delas se mantém no estado de presença enquanto trabalha e se retrai numa inconsciência relativa na vida privada. Isso significa que seu estado de presença ocorre durante o tempo que é destinado a uma área específica da sua vida.
Continuar lendo O trabalho – com e sem a influência do Ego por Eckhart Tolle