Tu És Isso – Joseph Campbell

“Num sentido genuíno, poderíamos dizer que Joseph Campbell prega o fim do mundo, esta grandiosa metáfora da espiritualidade que tem sido tão explosivamente empregada por aqueles que tomaram sua pele denotativa e arrojaram ao lado sua carne conotativa, pois, como explica Campbell, o fim do mundo não é um evento cataclísmico de cujo terror do julgamento final nos aproximamos cada vez mais. O fim do mundo acontece todos os dias para aqueles cuja introspecção espiritual lhes permite ver o mundo como ele é, transparente para a transcendência, um sacramento do mistério ou, como escreveu o poeta William Blake, “infinito”. O fim do mundo é, portanto, a metáfora de nosso começo espiritual e não o nosso fim cruel e ígneo.

A tradição espiritual judaico-cristã, restaurada por Joseph Campbell, é totalmente diferente do sectarismo despedaçado e farisaico que lança as pessoas umas contra as outras na guerra, que é ao mesmo tempo imperdoável e infindável. O mais significativo ensinamento da tradição é realmente aquele da compaixão, que requer que morramos para nós mesmos para ascendermos àquela visão reveladora de que partilhamos da mesma natureza humana com todas as outras pessoas. Tat tvam asi.

A mensagem de Joseph Campbell para o século XXI não é apocalíptica. É repleta de esperança porque nos enraíza uma vez mais nas fundações da tradição judaico-cristã e na tarefa de vencer o desejo e o medo que, por si sós, nos mantêm exilados daquele jardim no qual, longe de nos contemplarmos mutuamente com vergonha, abraçamos a humanidade da qual todos nós temos a marca.

Tat tvam asi. Isto és Tu.

Eugene Kennedy, Ph.D.”

— no livro Tu És Isso de Joseph Campbell