Meditação Vipassana no entendimento de Osho

Vipassana

O sistema de Buda era o vipassana. Vipassana significa ser testemunha e ele descobriu um dos melhores métodos, o método de observar sua respiração… simplesmente, observar sua respiração.

Continuar lendo Meditação Vipassana no entendimento de Osho

Duas técnicas de meditação por Osho

Duas Técnicas Passivas

Numa situação onde você não pode fazer as técnicas ativas? Aqui estão dois métodos passivos simples, porém efetivos. E lembre-se, você encontrará muitos mais na rotação regular na “Meditação da Semana” e na “Meditação para Pessoas Ocupadas”.

1. Observar a Respiração

Observar a respiração é um método que pode ser feito em qualquer lugar, a qualquer tempo, mesmo que você só tenha alguns minutos disponíveis. Você pode simplesmente observar o subir e descer de seu peito ou barriga quando a respiração entra e sai, ou tente esta versão…

Continuar lendo Duas técnicas de meditação por Osho

Retorne a sua respiração

Porque a vida pode ser complicada é bem importante ter uma ferramenta confiável que você pode usar para simplificar as coisas quando for necessário. Prestar atenção a sua respiração é uma prática poderosa que sempre está acessível para você. O mecanismo de prestar atenção a sua respiração é tão simples que você provavelmente já fez isso. Simplesmente respirar. Levar sua atenção para a respiração conforme ela vai e vem. Porque observar sua respiração seja algo tão simples, é necessário complicar um pouco as coisas para revelar o poder dessa prática.

A vida é usualmente complicada por causa de reações emocionais a algo ou alguém. Emoções, assim como sua respiração, podem ser voluntárias e involuntárias. Diferente da sua respiração, emoções podem levar embora sua atenção. A respiração sempre continua, quer preste ou não atenção a ela. Emoções são complicadas, elas podem surgir em todos os lugares e momentos. Sua respiração é simples. Dentro e fora. Se você se encontrar em uma situação difícil de reação emocional, você pode estar se sentindo subjugado ou girando fora de controle, e nesse momento precisa de algo que lhe traga de volta ao seu centro.

Para que sua respiração trabalhe por você, é preciso que você tenha fé em seus poderes transformadores. A melhor forma de desenvolver a fé é através da experiência direta. Tente isso. Faça uma respiração profunda, inspire o máximo de ar que conseguir. Segure por alguns segundos. Expire tudo o máximo que puder. Veja como se sente. Se sentir um senso de paz e alívio, pode usar isso como base para sua fé. A partir daí pode tentar essa técnica com emoções mais complicadas.

Se você é pego em uma reação emocional pode ser necessário várias inspirações e expirações para conseguir se sentir melhor e sentir mais confiança. Essa primeira respiração, esse momento de retorno a sua respiração é um tremendo ato de coragem e resiliência. É um ato de fé e amor. Mesmo que você desenvolva uma fé bem fortalecida em retornar a sua respiração, ainda precisará testar regularmente. O poder só aumenta com a prática.

Traduzido de Peter Taylor com autorização do autor: Return To Your Breath

Mindfulness – Lembre-se da respiração

Um mestre budista uma vez disse que ter atenção plena (mindfulness) é até simples, o problema é se recordar sempre e estar o tempo todo atento.

“Lembre-se!

Com que frequência nós esquecemos

De lembrar ”

(Sanuki)

Os ensinamentos do Buda sobre atenção plena e estar consciente como um caminho para a iluminação são muito apropriados atualmente. O segredo da atenção plena (mindfulness) pode ser resumido em duas palavras: Lembre! e Consciência (esteja atento)

Lembre-se de estar ciente da sua respiração.

Lembre-se de estar ciente do lugar onde está.

Lembre-se de estar ciente do que está fazendo.

Lembre-se de estar ciente do que você fala.

Lembre-se de estar ciente sobre o que sente.

Lembre-se de estar ciente sobre o que pensa.

Tente isso por algum tempo agora.

Percebe como é fácil falar mas difícil fazer?

A chave para mindfulness (atenção plena) como forma de meditação reside na respiração. Como muitas formas de meditação budista, a respiração é usada como veículo para acalmar a mente. Se você já tentou acalmar sua mente tem ciência do que os orientais chamam de “A mente do macaco”. Essa mente é como o macaco preso numa jaula, balança de um lado para o outro pulando o tempo todo sem descanso, nunca parado. Isso é particularmente mais visível quando você tenta persuadir ele a parar e ficar quieto. Ele só está quieto quando dorme ou quando tem algo para comer. Então, para sossegar a mente do macaco nós precisamos lhe dar comida e essa comida é a respiração.

– Jim Pym, You Don’t Have To Sit On The Floor: Bringing the insights and tools of Buddhism into everyday life.

Vivendo no Eterno Presente

“As instruções do Buda sobre mindfulness são essa:

Atentamente, inspire, atentamente expire.

Ao fazer uma inspiração longa, esteja ciente “Estou fazendo uma respiração longa”

Ao fazer uma expiração longa, esteja ciente “Estou fazendo uma expiração longa”

Ao inspirar curto, esteja ciente “Estou inspirando curto”

Ao expirar curto, esteja ciente “Estou expirando curto”

Ciente de toda respiração no seu corpo, treine sua inspiração.

Ciente de toda respiração no seu corpo, treine sua expiração.

Ciente do efeito calmante da sua respiração no seu corpo, treine sua inspiração.

Ciente do efeito calmante da sua respiração no seu corpo, treine sua expiração.

A consciência da respiração leva a outros caminhos da consciência. Quando você está sentado, caminhando ou deitado saiba o que está fazendo. Quando está comendo, bebendo, se curvando ou esticando para ir dormir, saiba o que está fazendo.  Em outras palavras, o que estiver fazendo esteja ciente disso. Deveria ser óbvio agora que a abordagem de Buda para a Atenção Plena (mindful awareness) englobo a vida como um todo. É viver no Eterno Presente, independente do que isso possa ser para qualquer pessoa. Tudo o que precisamos fazer é nos lembrar disso.”

– Jim Pym, You Don’t Have To Sit On The Floor: Bringing the insights and tools of Buddhism into everyday life.